domingo, 30 de março de 2008

A ESCAPADINHA EM HORA DE SERVIÇO...

Luís tinha um chefe controlador. E, por vezes, chato! O seu trabalho era na rua, isto é, fora do escritório, mas tinha instruções para estar sempre a telefonar ao chefe, a dar-lhe conta de como iam correndo os contactos. Se ele se atrasava a telefonar, era o chefe que lhe telefonava ou enviava um e-mail para o PDA.

Mas nesse dia Luís despachou-se cedo de um cliente que por acaso até tinha o escritório perto da casa da sua namorada. Ainda para mais ele sabia que ela estava em casa a terminar um trabalho para o doutoramento, e bem decidido, bem feito! Iria ter cerca de uma hora livre e numa hora pode-se fazer muita coisa... mas mesmo muita coisa! Basta crer, basta querer... e agir!

E ele agiu! Conseguiu estacionar, saiu do carro, tocou à campainha, subiu as escadas e encontrou-a sedutora no contraluz da porta! Ninguém diria que haviam estado juntos no dia anterior: abraçaram-se como se não se vissem há muito tempo, rolaram para dentro de casa, um pequeno empurrão com o pé fechou a porta da rua, de seguida a roupa de um e de outro foi ficando pelo chão do hall, do corredor, da entrada do quarto... acabaram num sítio muito familiar para os dois...

No êxtase do momento nem se deram conta das manifestações sonoras que ambos produziram. E muito menos que a impetuosidade com que ele atirara o casaco para cima de uma cadeira tenha ligado o telemóvel precisamente na última chamada que Luís havia feito... Adivinhem para quem? Exactamente! Para o chefe controlador, minhoquinhas e chato... Luís recebeu um telefonema ao fim de poucos minutos e percebeu logo o que se tinha passado. «Estava frito», pensou, «o chefe nunca lhe iria perdoar um devaneio daqueles à hora de serviço!».

Se houvesse uma segunda oportunidade naquele momento entre Luís e a namorada com certeza que ele não iria corresponder, tão nervoso ficou! Saiu esbaforido, esqueceu a gravata mas o importante era apresentar-se ao chefe o mais rápido possível. Aquele emprego era tão importante para ele! Mas não havia muito para explicar, os factos estavam ali...

«Luís!», gritou o chefe ditador, «a sua sorte foi não ter feito a última chamada para um cliente!». Luís encolheu-se e já se imaginava a procurar emprego nos anúncios de jornal quando o chefe baixou o tom de voz e disse-lhe quase em surdina: «Gostei do desempenho! Está promovido! E tire o resto do dia para si!!!»

17 comentários:

irneh disse...

Pois...há chefes que, no fundo, no fundo, são muito compreensivos. E, afinal, o Luís tinha acabado de provar a sua "competência"!!
Beijinhos.......

mulher disse...

Afinal, nao era mau chefe....
Será que se o Luis fosse mulher, teria sido tão condescendente? Nunca vamos saber.!!
Bejinho.

SimplesmenteAna disse...

Quando acabei de ler esta história dei uma boa gargalhada porque o final foi inesperado e não pensei que naquele chefe chato e tão exigente se escondesse uma alma compreensiva.
Mas...
E, se o desempenho, não tivesse sido bom, será que o chefe seria igualmente tolerante?
Muito bem conseguida esta história.

Alex, tem uma boa semana, cheia de óptimos momentos.

1 :-) e 2 beijos.

Marta disse...

Boa história!!!
Bem humorada e o Luis já deve respirar de alívio....
Gostei...
Beijos e abraços
Marta

Sol da meia noite disse...

Estranho perfil para um chefe... quanta permissividade.
Bj

Bichodeconta disse...

bem fez o chefe, como eu o entendo.. Pobre Luis, em certos dias em Lisboa, uma hora quase não dá para estacionar o carro sem correr o risco de ao chegar não ter lá um cartão da emel.. quanto mais para um desempenho tão fervoroso.. isso é o que se chama getão do tempo.. No Alentejo não dava para uma rapidinha.. Eu explico, é que uma rapidinha de um Alentejano, é duas horas... Gostei da história e gostei sobretudo que tenhas voltado, um beijinho, ell

david santos disse...

A competência, Alexandre! É a competência.
Parabéns.

adam brown disse...

Hello I just entered before I have to leave to the airport, it's been very nice to meet you, if you want here is the site I told you about where I type some stuff and make good money (I work from home): here it is

Bichodeconta disse...

Deixo um abraço..

Bichodeconta disse...

Afinal este espaço vai ter de passar a chamar-se uma história por semana lol .. Beijinho, ell

Bichodeconta disse...

Barata tonta feito bichodeconta aqui ando eu a deambular pelos lugares que me encantam.. beijinho e boa semana..

sofialisboa disse...

gostei do humor...sofialisboa

mulher disse...

Ahhaha. Muito bem quase, é isso.(Quase uma historia por dia),aguardo a proxima.
Deixo te bjinhos.

mulher disse...

Ahhaha. Muito bem quase, é isso.(Quase uma historia por dia),aguardo a proxima.
Deixo te bjinhos.

sp disse...

Muito bem escrita...
Parabéns.
Prometo voltar.
Um abraço!

Anónimo disse...

adorei seu blog, por isso voltei.
amigo, quem não tem uma escapadinha.
Só mesmo a morte é que não enganar.
muito humor nesse tema.
beijos e um fim de sem,ana com muita paz, luz e amor em seu coração.
beijos.
Regina Coeli

deusaodoya.

Isabel-F. disse...

adorei ...


sabes ... tina passado ao lado deste teu espaço ... sei lá por quê ....

bjs