sexta-feira, 14 de novembro de 2008

ELA TINHA UM DESGOSTO TREMENDO QUANDO SE OLHAVA AO ESPELHO...

Ela olhava-se todos os dias ao espelho e ali ficava longos minutos. Apalpava o rosto, o cabelo, o pescoço, o nariz, punha a mão na testa e o seu desgosto era sempre o mesmo! Desde muito pequena que vivia com aquele tremendo desgosto, mas em pequena não sabia bem explicar a angústia. Agora, sim, já era adulta e conhecia as razões de tão profunda decepção.

Mas como poderia ela resolver aquele problema. Que soubesse ninguém até hoje conseguira superar aquela questão, mas se calhar os outros não pensavam tanto nisso como ela... mas ela também não se importava com os outros, era consigo própria que estava preocupada e a cada dia que passava mais ansiosa ficava: afinal, se os outros que a rodeavam e que a observavam tinham acesso àquilo que ela não tinha, considerava isso uma injustiça...

... Um dia foi a Londres! Em passeio! Nas visitas aos museus passou pelo Museu das Figuras de Cera e quedou-se demoradamente a observar algumas das estátuas! Eureka, exclamou ela, já tinha a solução para o seu dilema: se bem o pensou, melhor o fez, e mandou fazer uma estátua em cera do seu busto... afinal, ela nunca se tinha visto a 3 dimensões e carregava esse desgosto desde a infância! Agora com a estátua de cera até dispensava o espelho - onde só se via a duas dimensões - com a está tua ali estava ela como se imaginava na realidade... a 3 dimensões!!!

1 comentário:

elvira carvalho disse...

Pois é. Há muita gente assim.
Um abraço e bom fim de semana