segunda-feira, 3 de novembro de 2008

HÁ SEMPRE ALGUÉM QUE NÃO FICA INDIFERENTE...

Parece que o acidente tinha sido terrível! Ali estava ela prostrada, sem se mexer, com uma perna toda torcida... e o mais incrível, ninguém fazia nada, as pessoas passavam metidas nas suas próprias vidas, nem reparavam - ou não queriam saber - que estava ali alguém a precisar de auxílio!

É a dura realidade: quantas vezes as pessoas passam indiferentes à desgraça alheia! Talvez um dia sejam elas a precisar e então não haja também quem as socorra... isto era o que passava pela pequena cabecita...

... Até que, em determinado momento, alguém se inclinou sobre ela e a observou demoradamente - visto daquela posição incómoda até parecia alguém monstruoso - esse alguém murmurou qualquer coisa que ela não percebeu e depois aproximou uns dedos enormes do seu corpo frágil... ela tremeu: não sabia se ele a viria ajudar ou simplesmente... esmagar!

Esmagar, sim, porque qualquer dedo ou mão de um ser humano podia pôr fim à sua vida... mas não, aquele enorme objecto em movimento, como ela gostava de chamar os humanos, recolheu o seu corpo, sacudiu-o, soprou-lhe para cima - «puxa, que ventania!» - atirou-a ao ar, ela sentiu a perna solta da asa...

... Bateu as asas e - sim, estava a voar de novo... viva, subiu, deu duas voltas à volta do humano como que a agradecer e prometeu que lhe faria um pedaço de mel especial para ele... é claro, ela ficou com a impressão de que ele não tinha percebido nada, mas o que conta mesmo nestas situações é a intenção...

1 comentário:

Lia disse...

Historinha de encantar;0)Coitadinha da abelha!Gosto de saber que ainda ,existem pessoas,que nem a uma "mosca"/abelha fazem mal!;0)
Um beijo*