terça-feira, 19 de agosto de 2008

O ENIGMA DAS REVISTAS GUARDADAS NA GAVETA...

O gabinete não era grande e o número excessivo de secretárias e armários tornava-o ainda mais «pequeno». A privacidade de cada funcionário era diminuta, mal dava para esconder a cara por detrás dos monitores. Era quase impossível ler uma revista ou um jornal sem que o vizinho do lado ou de trás soubesse o que se estava a ler, ou atender o telemóvel sem que todos ficassem a saber o conteúdo da conversa.

Mas ele primava pelo mistério. Havia uma revista que de vez em quando ele tirava da gaveta, que via com muita atenção, totalmente concentrado e com os olhos quase esbugalhados... e que depois voltava a guardar na gaveta secreta, de tal modo que nunca ninguém conseguia perceber o que estava ele a ver.

Como ele era solteiro e reservado e não se lhe conseguia nenhuma namorada, os zunzuns eram mais que muitos e o boato de que ele guardava na gaveta revistas pornográficas que via à socapa nos intervalos do café e à hora de almoço ou que levava para o w.c., espalhou-se rapidamente. Mas como poderiam os colegas ter a certeza?

Um dia inventaram um incêndio! Alguém começou a gritar «fogo», «fujam», o teatro estava tão bem montado que todos se precipitaram para a porta de saída, atabalhoadamente, inclusive ele: todos, excepto um colega, o qual se esgueirou para a secretária dele, abriu a gaveta secreta e tirou de lá várias revistas... do Tio Patinhas e do Pato Donald!!!

1 comentário:

Lia disse...

E como se costuma dizer...as aparências "aparudem";0)) (olhos esbugalhados)Gostei!!!
Beijocas