quinta-feira, 16 de outubro de 2008

ELE TINHA UMA RELAÇÃO DE MUITA CUMPLICIDADE COM ELA...

Ele tinha uma relação profunda com ela, uma relação de muita cumplicidade... não podia viver sem ela, «nem um segundo», diziam os amigos! E realmente era quase verdade: se ela não estava presente, se ela não estava nas imediações, ele punha o nariz no ar e procurava por todo o lado!

E se não a encontrava ao fim de uns minutos começava a ficar mal-disposto, irritado, possesso mesmo... era uma relação muito íntima que ele tinha com ela, uma necessidade por parte dele muito grande! E, pelos vistos, davam-se bem pois ela não se queixava...

E assim passaram muitos meses, muitos anos, todos lhe diziam que a dependência dele para com ela não era correcta, que devia adoptar outra atitude, outra filosofia, que devia libertar-se um pouco dela, mas ele respondia sempre da mesma maneira: «que a atracção que ela exercia nele era muito grande e ele não conseguia afastar-se dela!»

Até que - e há sempre um «até que» - um dia ele decidiu mesmo romper com a dependência que tinha dela... fez um esforço enorme mas a pouco e pouco foi-se desprendendo, não com a rapidez que ele desejaria, mas a verdade é que reduziu e muito o tempo que passava na companhia dela...

... Pois é, ele hoje está muito mais magro, mercê da dieta que decidiu fazer, abdicando de grande parte dela - a comida! - e dos 180 quilos que tinha já passou para 120... o amor dele por ela mantém-se, apenas reduziu um bocadinho... e o pior é se ele se volta a apaixonar perdidamente por ela!!! - e isto tudo porque hoje é o Dia Mundial da Alimentação!!!

2 comentários:

Lia disse...

Gosto do novo look do teu blog!
A história, como sempre,cheia de imaginação!Está gira!:0)
Um beijo e um raio de Sol.

Maria, Simplesmente disse...

Pois é. O moral da história não disses-te tu mas digo eu, todas as dependências são prjudiciais.
Nada como o meio termo para sermos livre.
Gostei.
Maria