domingo, 19 de outubro de 2008

O OLHO NEGRO!

Ele sempre quis ter uma fisga! Não para andar aos pássaros, como se dizia na altura - a última coisa em que ele pensaria era fazer mal a um pássaro! - mas sim para possuir um objecto que pudesse transportar no bolso de trás das calças, sacar dele, pegar numas pedrinhas, esticar o elástico e fazer pontaria a troncos ou ramos de árvores!

Ele já tivera várias fisgas antes mas nunca tinha tido nenhuma tão perfeita como aquela! Fora ele que a fizera, com todo o esmero! Constantemente era desafiado por outros rapazes para testar as fisgas... outros rapazes que muitas vezes se envolviam em lutas uns com os outros... era assim naquele tempo, fazia parte da maneira de crescer de muitos meninos, ou melhor de muitos homens que nunca foram meninos...

... Um dia ele apareceu na aula da então 4.ª classe com um olho negro: a professora (de 45 alunos - todos rapazes!) aproveitou para desancar nele, dizendo para toda a turma que até o pacífico do rapaz já andava à luta e aparecia com o olho negro... naquele tempo motivo para regozijo, ele não se desmanchou... nem sequer contou que o olho ficara assim porque um dia ao esticar a fisga em vez de largar a parte onde prendia a pedrinha, largou primeiro a parte do Y de madeira que lhe veio acertar em cheio na vista... e teve sorte em ficar só com o olho negro... e ainda por cima por ter ficado na fama de um lutador que não precisou de lutar para agarrar a admiração dos outros rapazes... naquele tempo era assim, e dava tudo para voltar a ele (ao tempo das fisgas... que já passou!).

4 comentários:

elvira carvalho disse...

Muito bem escrito.
Um abraço

SILÊNCIO CULPADO disse...

Alex
Uma belissíma história do tempo em que os meninos brincavam com fisgas, berlindes e peões. Naquele tempo em que os meninos eram meninos e amavam as coisas simples.
Porém o contexto humano nos julgamentos era tão pérfido quanto agora. Nesse aspecto não regredimos nem evoluímos. Continuamos a julgar com os nossos olhos e a tirar conclusões apressadas.

Beijos

mariam disse...

Alex,
deliciosa esta estória!

olha, o meu filhote tem ali na sua secretária uma fisga, feita pelo meu pai(seu avô), à dois anos... dessas!
mas não a usa! LOL

um sorriso :)

mariam

Lia disse...

Gostei da história... levou-me(ao meu tempo de menina)quando eu,"tirava" emprestada, a fisga do meu irmão;0))))
Beijocas :0))))